quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Testosterona: O blog misógino que a MTV apoia


Este é meu prometido post sobre o blog Testosterona, um parceiro da MTV que constantemente veicula conteúdo machista e misógino. Está bastante longo, pois fiz uma análise dos principais argumentos utilizados por defensores do material. Toda vez que se critica uma piada, aparece um bando de defensores dum conceito de “politicamente incorreto” pautado em “liberdade de expressão”. Então vamos eliminar esses nós.

Politicamente correto se refere a termos potencialmente ofensivos e estabelece formas de se evitar discriminação através da linguagem. Por exemplo: O correto é dizer pessoa com deficiência, e não pessoa deficiente. Isso porque chamar alguém de deficiente provoca a sensação de que a pessoa é defeituosa, quando na verdade ela tem apenas uma limitação. Mas o conceito se aplica apenas a termos, não se estende ao teor ofensivo de piadas. 

Politicamente incorreto consiste em manifestar preconceitos sem qualquer tipo de receio. Atualmente tem sido muitas vezes utilizado como um eufemismo para discurso de ódio. Os partidários dele se colocam como transgressores, mas na verdade são extremamente reacionários, pois perpetuam discursos já feitos por seus bisavós, reiterando assim preconceitos sociais antigos. Esse é o caso do blog Testosterona.  

Agora vou apresentar alguns trechos da Constituição Federal.

Artigo 3º da Constituição Federal

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Artigo 5º da Constituição Federal

Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

Fonte: http://www.jusbrasil.com.br

A liberdade de expressão prevista na constituição tem limites. Em primeiro lugar, é vedado o anonimato. Ou seja, cada vez que alguém deseja dizer algo, deve estar preparado(a) para assumir que disse algo. E isso acontece por uma razão muito simples: Você deve enfrentar as consequências de seus atos, nesse caso específico, de suas declarações.

Ao mesmo tempo em que os termos falam sobre liberdade de expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, os termos também falam sobre o direito à igualdade e o direito a reparação em caso de dano moral. Ou seja, as limitações do direito à liberdade de expressão também estão previstos na constituição.   

É importante frisar que a igualdade de gêneros é citada logo no primeiro termo. O que significa que qualquer manifestação que discrimine as mulheres contraria a constituição. Sendo assim, discurso machista não é amparado pelo princípio da liberdade de expressão por contrariar o princípio de igualdade entre os gêneros.

E não é só isso. O código penal prevê punições para vários crimes de discurso: Injúria, difamação, calúnia. A prática de racismo já é criminalizada desde 1989, entretanto as práticas de misoginia, machismo e homofobia ainda não contam com legislação específica. Nesses casos, é possível criminalizar mensagens discriminatórias como apologia ao crime ou discurso de ódio. 

E sobre esse assunto, segundo Wikipedia:

“Discurso de ódio (tradução do inglês: hate speech) é, de forma genérica, qualquer ato de comunicação que inferiorize uma pessoa tendo por base características como raça, gênero, etnia, nacionalidade, religião, orientação sexual ou outro aspecto passível de discriminação.

No direito, discurso de ódio é qualquer discurso, gesto ou conduta, escrita ou representação que é proibida porque possa incitar à violência ou ação discriminatória contra um grupo de pessoas ou porque ela ofende ou intimida um grupo de cidadãos. A lei pode tipificar as características que são passíveis de levar a discriminação, como raça, gênero, origem, nacionalidade, orientação sexual ou outra característica.”

Um monte de gente fala sobre humor negro quando defende as "piadas" profundamente degradantes com relação às mulheres do blog Testosterona.

Então vamos à definição de humor negro. A origem do termo está em humor da bílis negra, ou humor da melancolia. Hipócrates classificou a melancolia como doença no século V a.C, e, ao seu ver, ela era causada por acúmulo de bílis negra. Melancolia não tem nada a ver com denegrir a imagem de um grupo, percebe? Melancolia está relacionada a um acontecimento triste. Para não ficar confuso, vou exemplificar:

Após o último acidente com a companhia aérea TAM, um professor meu fez a seguinte piada:
"O novo slogan da Tam é: Nossos clientes nunca voltam para reclamar".

Para rir dessa piada você precisa entender que os clientes jamais voltam para reclamar porque estão mortos. Mas soa como uma propaganda porque implica a satisfação do cliente.É humor negro porque faz piada de uma tragédia. Perceba que a piada diz a verdade. Toda piada é embasada em algo que se acredita. 

Essa outra piada foi feita na época que Elisa Samúdio, moça que teve um filho do goleiro Bruno, foi dada como morta. Usa o sistema de “sorte de hoje” do Orkut.

"Sorte de hoje: Você não teve um filho do goleiro Bruno".

As investigações apontam que, por ter tido um filho dele, ela foi assassinada e teve seu cadáver ocultado. Logo quem não teve um filho dele tem sorte. É humor negro porque faz piada de um crime brutal, mas não ridiculariza a vítima. Ridiculariza toda uma situação e, mais uma vez, diz a verdade. 


South Park é um desenho animado que pratica um humor bastante agressivo. Ele satiriza comportamentos preconceituosos e estereótipos. É humor negro porque ridiculariza coisas tristes e lamentáveis nas sociedades. Teve um episódio em que um professor foi afastado por ser homossexual. Logo em seguida, ele foi substituído por um pedófilo heterossexual, que pedia fotos dos alunos nus como tarefa.  

Produtos direcionados ao público masculino não precisam ser machistas, quanto mais misóginos. Mas a MTV Brasil parece não saber disso. Em 2007, Marcos Mion apresentava um programa chamado Mucho Macho. O conteúdo era nojento, zombava de feministas e coisificava mulheres de forma grotesca. 

Além disso, a marca de desodorantes masculinos Axe constantemente patrocina a programação da MTV. A Axe tem um histórico razoável de propagandas machistas. Elas costumam sugerir que as fragrâncias são um tipo de feromônio mágico capaz de levar mulheres a transarem com o homem que o utilizar.

O último era sobre um rapaz que, devido ao uso de dois produtos Axe, encontra garotas brigando por causa dele em seu quarto. "Misture-os e acumule mulheres" diz o narrador. Parece que mulheres são objetos que podem ser colecionados por homens.

Há alguns dias, a página da Axe no Facebook postou a seguinte mensagem: "Celular de homem não tem agenda, tem cardápio".

De péssimo gosto, no mínimo. Misógina na essência, pois simbolicamente trata mulheres como comida. Após consumido, o alimento não existe mais. O ato de se alimentar é um ato destrutivo. A gente sempre entende muito sobre propagandas através do que não é dito explicitamente. É sem dúvidas irresponsável que um veículo de comunicação cujo público alvo são pessoas jovens inclua em sua programação comerciais de uma marca tão assumidamente machista como a Axe.

Mas não deveria surpreender, já que a MTV é parceira de um blog grotescamente misógino como o Testosterona. Sabendo das petições solicitando o fim da parceria com o blog, a resposta oficial da emissora é a seguinte:

“19 de outubro: A Vice Presidente de Responsabilidade Social da MTV acaba de entrar em contato com a gente. A resposta oficial da emissora é que nós não entendemos a piada. De acordo com a MTV, o Testosterona é "uma abordagem humorística do machismo moderno, adequadamente embasada na cultura brasileira" e que eles não veem problemas em continuar essa preocupante parceria”.

Responsabilidade social? Parece ser alguém da área comercial, não é mesmo? Porque se vamos tolerar o machismo moderno, como agiremos com relação ao racismo moderno? E quanto à homofobia moderna?
Lembra quando eu falei que não existia misoginia? Esse é um dos maiores exemplos. Racismo na MTV é palavrão. A MTV já promoveu vários programas para casais gays, pois sempre se colocou como uma emissora “gay friendly”. Mas no que se refere às mulheres, ela é tão machista quanto qualquer outra emissora.

Por que as mulheres não importam? Porque o machismo é tão normatizado que até mulheres o validam? Não sei. Mas de uma coisa eu tenho certeza: Se eles não querem acabar com a parceria, o blog rende dinheiro. Somente por dinheiro se abre mão de valores. E a MTV pertence ao grupo Abril, o mesmo do qual a Veja faz parte.

A revista Veja tem sempre uma mensagem de direita e conservadora. A capa do dia 19/11 foi “Ela vendeu a virgindade”, falando sobre uma moça que participou dum projeto no qual ela leiloou a virgindade. Só que um rapaz fez a mesma coisa. A dele recebeu lances bastante inferiores à dela. E o fato de a Veja só se preocupar com a dela, só comprova o quanto a virgindade feminina ainda é tão valorizada. Mas essa não é a primeira capa equivocada da Veja.

Agora vou demonstrar que o conteúdo veiculado pelo Testosterona é misógino. Pra começar, a definição de misoginia de Allan G. Johnson apresentada no Dicionário de Sociologia:




"Misoginia é uma atitude cultural de ódio às mulheres simplesmente porque elas são mulheres. Trata-se de uma parte fundamental do preconceito e da ideologia sexistas e, como tal, constitui uma base importante para a opressão das mulheres em sociedades dominadas pelos homens. A misoginia se manifesta de várias maneiras diferentes, de piadas e pornografia à violência e ao autodesprezo que mulheres podem ser ensinadas a sentir em relação ao próprio corpo." (JOHNSON, 2000, p. 149).


Vou analisar quatro postagens do Testosterona:

1) Postada em 21 de junho no Facebook do Testosterona (sem ano):

Aparece um homem carregando uma moça agarrada pelas pernas. O texto diz: "Volte aqui mulher, já falei que shopping só depois que lavar a louça".

É uma cena de bastante violência na qual a vítima é ridicularizada. Acontece violência física, pois a vítima está sendo carregada a força perdendo seu direito de ir e vir e sendo machucada conforme tenta lutar. Também inclui violência psicológica, pois o evento acontece em espaço público, sendo humilhante.  
Aqui a palavra mulher aparece como vocativo, sendo usada pejorativamente da mesma forma que a palavra negro no discurso de um racista.

Coloca-se o agressor como alguém com direito de ordenar e punir a vítima, como se ela fosse uma escrava. Também é apresentada a função de fazer serviço doméstico como obrigação das mulheres, algo que elas devem fazer antes de procurar diversão. Passear no shopping é colocado como um interesse supostamente feminino e frívolo.

Recomendo as canções "Woman" do John Lennon e "Serious" do Duran Duran como exemplos de situações em que a palavra "mulher" não é utilizada pejorativamente.

2) Dia do Sexo Anal - 13/06/2012

Aparece uma garota com expressão de dor durante a relação sexual, que parece ser anal. A mensagem escrita sobre a foto diz: "13/06 Dia do sexo anal - No dia dos namorados você a levou pra jantar fora? comprou um bom presente caro? Fez tudo para fazê-la feliz? Anime-se! Hoje é o dia da sua recompensa meu amigo, hoje é dia do sexo anal!"

A mensagem por si só é de extremo mal gosto. Sugere que homens apenas tratam as parceiras bem para obter essa alegadamente tão valiosa recompensa, o tal do sexo anal. Só que ele não parece querer que a parceira sinta prazer em praticar sexo anal, pois a foto mostra uma moça sentindo dor. Logo a mensagem é que a mulher deve topar usar sexo anal doloroso como moeda de troca na relação. Ou seja, o prazer do homem vem de provocar dor e humilhação na mulher, prática misógina.

3) Foto duma pessoa que parece ser mulher em frente ao computador com uma revista "Curso básico de cozinha" sobre a mesa. Sobre a foto está escrito em letras brancas: "Estudo: A única forma de se tornar uma empregada eficiente", abaixo consta o endereço do blog.

A pretensa piada ridiculariza a profissão de empregada doméstica. A mensagem velada é de que não é necessário estudar para exercer tal função, o que supostamente a desqualifica. Também aparece uma insinuação de que mulheres são burras, pois se considera que a personagem da foto está estudando para aprender a executar tarefas domésticas, funções socialmente desprezadas. É machista porque coloca mulheres como inferiores, incapazes, sem inteligência e restritas a tarefas domésticas.

4) "Como ter uma vida melhor?" (05/10/2009).

São dois desenhos. No primeiro, aparece um casal. O homem parece estar de mal humor e tem um tridente na mão. No segundo, o homem está feliz, e a mulher está morta no chão, atravessada pelo tridente.
A mensagem explícita é de que mulheres (aqui na semântica de esposa) tornam a vida de um homem um inferno. A solução apresentada para atingir a felicidade é matar a esposa de forma cruel. Uma demonstração clara de desejo de destruição do feminino.

Por tudo isso, gostaria de pedir a sua assinatura para as seguintes petições contra o blog Testosterona. 
Uma delas pede que a MTV encerre a parceria*, e a outra pede o fim dos post misóginos do blog. Quem quiser mais informações, pode consultar o seguinte tumblr. 


Para encerrar, deixo um trecho do brilhante artigo "The harms of pornography exposure" de Michael Flood e a seguinte pergunta: Será que as "piadas" de Testosterona são realmente inócuas como a MTV alega? Reflitamos.

"Homens que apresentam relativamente elevado risco de agressão sexual são mais susceptíveis a serem atraídos e sexualmente excitados por meios violentos. . . e podem ser mais propensos a serem influenciados por eles" (Malamuth et al., 2000,p. 55). (FLOOD, 2009, p.392).

* Após pressões sobre a MTV EUA, a parceria foi misteriosamente encerrada. A MTV Brasil nunca se pronunciou sobre o assunto. Atualmente, o ofensivo blog é parceiro do portal R7, pertencente ao grupo Record.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigadão Rita! Sempre feliz com sua presença aqui!

      Beijos!

      Excluir
  2. Estou estupefato, excelente abordagem, coragem para discorrer sobre sub-temas polêmicos sem se furtar e extremamente didático.
    Gostei muito, parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Samuel! Acho que o texto ficou um pouco longo, né? Mas acabei explicando um monte de coisas para defender meu ponto de vista. Fico feliz que você tenha gostado.

      Abraços!

      Excluir

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!