terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Homofobia: uma das faces da misoginia

Costumo dizer que homofobia é uma especificação da misoginia, e consequentemente, do machismo. É curioso que a discriminação de gays seja muito mais detectada socialmente que a de mulheres. É muito mais fácil alguém ser reconhecido como homofóbico que como misógino, ou até mesmo machista.

A questão é que o homem homossexual é visto como um ser não-digno por ter atitudes "femininas", e, por conseguinte, inferiores. Ele nasceu com o privilégio de ter um pênis numa sociedade falocêntrica, mas não o honra.

O machismo é uma visão de que homens são superiores às mulheres. Se um homem tem características consideradas "de mulher" como vaidade e delicadeza, ou se apresenta trejeitos quando fala e gesticula, e, principalemente, se faz o passivo numa realção anal, ele se rebaixa à condição de uma mulher.

A misoginia é uma rejeição das mulheres e do feminino em geral. E é esse o processo que ocorre quando um homem gay é rejeitado. O mesmo quando são travestis ou transexuais que são discriminadas, pois elas são homens que não souberam honrar ter nascido com pênis. E claro, mulheres lésbicas são discriminadas porque cometem a arrogância de não se relacionar com homens. Afinal, como é possível ter prazer sem pênis, não é mesmo?

Vivemos num mundo no qual chamar um homem de mulher é um insulto. Outro dia, estava no Carrefour quando ouvi dois homens conversando, um deles estava acompanhado de um menino pequeno. Um deles disse: "Sabe qual o novo slogan do São Paulo (time de futebol)? 'De mulher pra mulher, Marisa'." E os dois riram.

Existe uma piada na qual as torcidas rivais chamam os torcedores do SPFC de "bambis", numa alusão ao personagem veado, que é bastante delicado. E evidentemente entendido como coisa "de menina". Mas nessa conversa entre esses homens fica bem claro de onde vem a ideia de ridicularizar os saopaulinos sugerindo que eles são homossexuais. Eles entendem gays como femininos, parecidos com mulheres, logo inferiores.    

Também me lembro de ter visto um professor brincando com um garoto cabeludo no cursinho: "E esse cabelão aí quando passar no vestibular?". Então um amigo do cabeludo disse: "De mulher eles não cortam o cabelo".

Sim, a piada é chamar o amigo de mulher. Não precisa ser mais claro que isso, né? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!