domingo, 28 de abril de 2013

Ser grosseiro no trânsito prova masculinidade?

É senso comum a ideia de que mulheres têm menos capacidade que homens para dirigir veículos. Ouvimos isso desde a infância, embora não exista nenhum comando no carro que dependa dum pênis para ser acionado. Além disso, o seguro de carros dirigidos por mulheres é mais barato devido à menor probabilidade de acidentes graves.

Historicamente, mulheres sempre foram reservadas para o espaço privado, enquanto que o espaço público era dos homens. Mulheres no espaço público, até hoje, ainda são agredidas porque incomodam os homens.

Pode parecer bobagem falar que em 2013 homens não gostam de ver mulheres na rua. Mas a verdade é que isso é um processo em muitos casos inconsciente. Por isso existe uma reação tão intensa de rejeição a mulheres na rua, e isso começa quando ainda somos meninas.

O assédio nas ruas, que começamos a enfrenter muitas vezes antes da puberdade, não se trata apenas de "elogios". Esse assédio é um processo através do qual homens mostram para mulheres o lugar delas; mostram que, se elas desejam estar no espaço público, esse espaço pertence a eles.

É claro que a misoginia social também é um fator responsável pelo especial prazer que se tem em agredir meninas e mulheres. E o trânsito é um excelente lugar para se fazer isso. Em primeiro lugar porque, dentro do carro, as pessoas têm a ilusão de estarem protegidas, como num tanque.  Em segundo lugar porque se convencionou que ser agressivo(a) no trânsito é "legal".

Por que? Simples, porque a agressividade é uma característica culturalmente atribuída ao masculino, e tudo que é masculino é visto como superior. Então o jeito que homens costumam dirigir é o mais "certo" ou "eficaz". O jeito que mulheres costumam dirigir "atrapalha", porque o legal é andar por aí arrebentando todo mundo, que é coisa de "macho".

Agora eu vou provar por absurdo como essa ideia de agressividade no trânsito é estúpida:

"Considerando que é legal dirigir correndo, haja vista o sucesso do automobilismo como esporte, então é legal andar correndo na rua, porque ser maratonista é um esporte que faz muito sucesso também".

Não é verdade, ninguém anda correndo na rua a menos que esteja treinando pra uma maratona. Isso é uma contradição, logo provamos por absurdo como dirigir feito louco(a) é uma atitude estúpida. Afinal, a gente tira carteira de habilitação, e não carteira de piloto de Stock Car.

Uma vez, eu vinha pela seguinte rua, sendo que a preferência era minha. Olhando na foto (Google maps), é possível ver que não há nenhuma placa de "Pare" ou "Dê a preferência" para mim, certo? Há apenas uma faixa de pedestres, diante da qual devo parar caso haja alguém esperando para atravessar a rua, mas caso contrário, tenho o direito de seguir em frente. 


Bem, é muito raro o carro que vem pela outra via parar porque ela tem maior movimento. Ali do outro lado da rua, tem uma placa de "Dê a preferência" para quem vem, mas ela é sistematicamente ignorada. E o pessoal que vem por lá realmente acha que quem vem desse lado deve parar. 

Um dia, eu estava entrando nessa via. Estava vindo um elemento (acompanhado de uma mulher) num gol GV preto. Quando eu estava entrando, mesmo a preferência sendo minha, ele jogou o carro e gritou "Vaca" para mim. 

Para mostrar a placa diante dele:


   
Tudo isso para provar que a preferência era minha. Mesmo assim, o elemento se achou no direito de me agredir verbalmente e me discriminar por gênero. Por que?

Porque é especialmente prazeroso para esse tipo de homem agredir mulheres. A questão do trânsito é só um pretexto. Não importa como a mulher dirige. Pode ser uma piloto, o desgraçado vai achar que ela dirige mal só porque é uma mulher. 

Ah, e uma dica especial: Se o rapaz que você está pegando xinga outra mulher assim, termine a relação com ele. Se xinga uma, xinga todas. Misoginia não é seletiva, tenha sempre em mente.   

Encerro dizendo a minhas colegas condutoras que não se preocupem. Não importa como vocês dirijam, vocês nunca conseguirão agradar, então, façam o que é melhor para vocês. Dirijam de forma responsável e cooperativa, contribuam para um mundo melhor e mais seguro, e, principalmente, desconsiderem toda e qualquer tentativa de agressão misógina.

Anexo baliza:

O Posto BR desenvolveu um aplicativo para o Facebook chamado Estaciona Bonito. É bem legal para treinar estacionar em vagas paralelas, que é uma manobra meticulosa e exige uma certa experiência. Vou deixar uma receitinha: Procure uma vaga com pelo menos 6 bloquinhos de calçada. Você deve contar enquanto emparelhada com o carro atrás da vaga. Se a vaga tem o tamanho bom, siga em frente, deixando uma distância lateral de aproximadamente um metro. Emparelhe com o carro da frente da vaga de modo que as lanternas traseiras dele estejam no início de seu vidro traseiro. Não vá mais para a frente que isso enquanto não tiver prática. Gire a direção de modo que os pneus virem para o lado da vaga e engate ré. Siga até que o carro esteja quase perpendicular à vaga. Então vire a direção para o lado oposto ao da vaga e continue dando ré. Vá devagar para não bater, mas se você tiver voltado o volante no ponto certo, o carro deve ficar arrumadinho de primeira. ;)

Se enconstar na guia é porque você foi muito na primeira manobra e deixou pra voltar depois do ponto. Se ficar longe da guia, é porque você voltou a direção muito cedo. Se o carro estiver torto, mas praticamente dentro da vaga, é só voltar a direção toda para o lado da guia e ir um pouco pra frente que ele fica reto. Se não, você vai ter que sair e começar de novo. Mas não vai ter jeito, você vai ter que fazer isso muitas vezes até aprender. Comece em vias largas, mas não se preocupe com pessoas impacientes. Todo mundo um dia começou.        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!