segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Cheiro de flores mortas

Cheiro de flores mortas

 

Postada originalmente em 26/02/2007 às 18h38.
Flores murchas
Flores secas
Cheiro de flores mortas
Procurando água...
Procurando luz...
Ninguém percebe, ninguém vê
Nada é o que parece ser
Vistosas e coloridas
porém solitárias
Perfumadas e atraentes
porém carentes

Cheiro de flores mortas
Nódoa na sua cama
Asfixiada em seus braços
Cabelos cor de sangue pelo espaço

Sangue de flor deflorada
Sutil gota no lençol
Uma mácula pra uma vida inteira
Um rastro de lágrimas
Em cada corredor
Em cada curva
Na carícia derradeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!