sexta-feira, 21 de março de 2014

Manual para vampiras iniciantes

Okay, então agora você é uma vampira. Parabéns, você vai viver para sempre (exceto por algumas casualidades que discutiremos adiante), nunca vai envelhecer, não vai ter medo de bandido nem de parceiro abusivo, vai poder ir para onde quiser na hora que quiser, vai fazer sexo com quem bem entender com a certeza de que vai gozar e sem se preocupar com gravidez ou doenças sexualmente transmissíveis. Tudo isso tem um preço entretanto: você vai precisar beber sangue pelo resto da eternidade. Sangue humano, de preferência. 

E agora, como adaptar sua dieta? Até semana passada, eram tantas opções. Agora seu desejo por sangue não a deixa dormir em paz. Em primeiro lugar, não adianta fugir. Tentar evitar a ingestão de sangue só vai deixá-la descontrolada, e, confie em mim, você não vai querer ficar descontrolada. Você pode acabar machucando (ou até matando) alguém muito especial pra você.

Beber sangue animal é sempre uma alternativa, mas você não vai gostar muito do sabor. Outro problema é onde encontrar animais. Se você mora na zona rural ou perto de florestas, isso é mais fácil. Mas pra quem mora em zona urbana o que resta é pombo, cachorro e gato. Depois de um tempo, começa a enjoar.

Furtar sangue humano em bancos de sangue derruba os estoques, que normalmente já são baixos. Fora que esse sangue fica gelado, o que não ajuda muito a melhorar o sabor. Pode ajudar em emergências, mas não há nada como um sanguinho fresco a 36,5º.

Tru Blood
Tru Blood é uma opção sintética vendida em garrafas. O sabor não é tão bom quanto o de sangue verdadeiro, mas está disponível nos oito sabores (A, B, AB, O, tanto positivo como negativo). O inconveniente é que é produzido nos EUA, no estado de Louisiana. Você pode comprar pela internet, mas vai demorar umas sete semanas para chegar. E pode ser que haja incidência de impostos, infelizmente.

O ideal é aprender a controlar o desejo por sangue para atacar apenas pessoas ruins e evitar matá-las no processo. Por isso mesmo é importante estar sempre bem alimentada; isso evita o descontrole.

Os melhores lugares que conheço para procurar presas são as baladas. É lá que você vai encontrar encoxadores (também presentes no transporte público), estupradores que colocam sedativos em bebidas, brucutus que quebram braços de garotas que não querem beijá-los, boyzinhos que xingam meninas de dentro de seus carros importados, entre outros tipos de misóginos chorume. E as vantagens não param por aqui. Como a música é alta, vai ser mais difícil que alguém ouça sua vítima gritar, o que pode acontecer no começo, quando você ainda não tem prática com hipnose. Além disso, a pouca luz ajuda a disfarçar eventuais gotas de sangue que escorram de sua boca. E, como muita gente fica de pegação no ambiente, ninguém vai suspeitar quando vir você com a boca afundada no pescoço do elemento.

Outros lugares legais para se alimentar são cruzamentos de cidades grandes durante a madrugada. É onde mais acontecem sequestros relâmpagos. Também vale a pena procurar por torturadores da ditadura, mas eles tendem a ser velhos e feios, o que corta um pouco o desejo pelo sangue deles. 

Katana 
E lembre-se sempre de ter cuidado com caçadores de vampiras. Eles estão por toda a parte querendo atravessar nossos corações com uma espessa estaca de madeira. Fique sempre atenta à presença de madeira no ambiente, principalmente cabos de vassouras e rodos, que podem virar estacas num só golpe. Também fuja de lança-chamas e explosivos. Todos os tipos de vampiras existentes morrem pela ação do fogo, você não vai querer virar estatística. A possibilidade de decapitação é um pouco remota, pois seria preciso uma katana para conseguir tal feito, e não se vê samurais por aí hoje em dia.

Dependendo do tipo de vampira que você for, algumas substâncias podem lhe ser tóxicas. Prata, verbena, alho são algumas das possibilidades. Algumas delas podem ser adicionadas a bebidas ou até mesmo passadas através do sangue de pessoas que as ingeriram. Alguns caçadores podem apelar para tais armadilhas traiçoeiras; é sempre bom acompanhar notícias sobre a ação deles. Geralmente, quando eles atacam numa região, as notícias correm pela comunidade sobrenatural.

E, por último, mas não menos importante, tenha cuidado com o sol. O sol sempre atinge vampiras, seja queimando sua pele, seja expondo seu vampirismo para a sociedade. Nunca se exponha ao sol sem um talismã que a proteja. Joias feitas com lápis-lazúli costumam ser as mais eficazes.

Também é bom lembrar que, como você não vai envelhecer, depois de algum tempo isso vai começar a levantar suspeitas. Você vai ter que se mudar sempre. Eu recomendo ciclos de 20 anos. Com alguns disfarces, é possível aguentar esse período. Mas o mundo é muito grande, felizmente. Há muitas cidades, e você sempre poderá voltar depois de algum tempo. 

No mais, aproveite todo o hedonismo de sua nova condição. Agora que seus sentidos estão mais aguçados, você tem um novo mundo para explorar. Boa sorte!     


       
 

2 comentários:

  1. hahhahahahah

    quer apostar que vamos poder ler aqui comentários de gente que acreditou?

    ResponderExcluir
  2. Rita candeu eu sou um à poucas semanas

    ResponderExcluir

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!