domingo, 18 de maio de 2014

Guarulhos sem água e o racionamento que não existe

É assunto do momento a falta d'água na Grande São Paulo. O sistema Cantareira chegou a quase 8% de sua capacidade, até que, na última quinta-feira, seu volume morto começou a ser explorado numa polêmica e arriscada manobra eleitoreira.

O que não tem sido divulgado é que a falta d'água já é realidade em várias partes da região metropolitana há muitos anos. Em Guarulhos, a água costumava sumir das torneiras por volta das 16h00 todos os dias há mais de dez anos. Em bairros da periferia da capital, o rodízio já é realidade há trinta anos.

Há uns dois meses, o racionamento de água em Guarulhos se agravou. Devido à crise do Cantareira, Guarulhos foi penalizada com falta d'água em dias alternados. Agora temos água de rua dia sim, dia não. São cerca de 20 horas com água, e 28 horas sem, porque acaba acontecendo um descompasso devido ao liga e desliga. E olha só que interessante: o racionamento não acabou depois que o volume morto do Cantareira passou a ser utilizado.

Só que, todas essas semanas, tenho ouvido a imprensa noticiando que o volume morto do Cantareira seria utilizado para "evitar o racionamento". Mas como evitar, se já está acontecendo? Não faz o menor sentido. Parece que o governo do estado não atua em Guarulhos. Ou talvez a realidade seja muito mais perversa. Talvez Geraldo Alckmin esteja ciente de que a prefeitura de Guarulhos está nas mãos do PT desde 2001 e tenha optado por perder os/as poucos/as eleitores/as de Guarulhos e manter os/as muitos/as eleitores/as de São Pulo City. Ou seja, aqui em Guarulhos a gente não pode nem cagar direito para que a galera dos Jardins possa lavar carros e regar plantas. Gostaria de saber quantas das 11.519.314 pessoas que colocaram o PSDB por mais quatro anos no governo de SP estão precisando levar um balde de 20kg pra jogar na privada cada vez que vão ao banheiro.  


E é impressionante como a Globo insiste que não há racionamento na zona metropolitana. Parece que Guarulhos é um universo paralelo fora da responsabilidade do governo do estado. Está tendo racionamento em Guarulhos há anos, e, pelo visto, aqui não causa nenhum problema para as bombas. Agora estamos com ainda menos água disponível para que a capital não fique sem, e o governador não perca votos. Só gostaria que isso fosse divulgado, porque não é justo.

Um comentário:

  1. Até onde eu sei, bairros que tem "pobres" e "ricos", a água só vai para os ricos e os pobres ficam secos, e as periferias e municípios da Grande São Paulo estão na mesma situação, ou recebendo água marrom e grossa....

    ResponderExcluir

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!