quarta-feira, 21 de maio de 2014

Palavra de misógino II

Atendendo a pedidos, publico mais um post com pérolas que misóginos soltaram diante de meus olhos que a terra há de comer. É claro que não necessariamente um homem que diz merdas como as dos exemplos a seguir é misógino, mas tenham em mente que conheci pessoalmente a maioria dos trastes, portanto sei do que estou falando. E sempre deixo a pergunta: Se o sujeito não é misógino, por que ele diz (ou escreve) em alto e bom som para mulheres de sua convivência escutar (ou ler) coisas desrespeitosas contra as mulheres? 

"A mina mó escrota, os pelos na teta."; misógino demonstrando desrespeito por garota que não havia depilado os seios. É misoginia sim, porque uma de suas formas de manifestação é através do desrespeito e controle do corpo feminino.

"Não gosto que a mina me lamba. Prefiro que beije, e sem batom, de preferência."; misógino demonstrando sentir nojo da saliva e da maquiagem feminina.

"Eu vou colocar som no carro, minha mãe que se vire pra pagar."; misógino que, com 21 anos na cara, achava que a mamãe tinha obrigação de pagar pelo som de seu carro na hora em que ele queria colocar. 

"E a louça?"; pergunta feita por vários misóginos quando mulheres ousam reclamar da opressão que sofrem. É baseada na ideia de que mulheres são inferiores, portanto devem fazer apenas serviço doméstico, que é braçal. Também reflete a crença de que mulheres devem ser as únicas responsáveis pelo serviço doméstico, ainda que trabalhem fora e/ou tenham renda. É o tipo de frase com conteúdo intrinsecamente discriminatório, dita apenas com intenção de agredir. Nesse caso posso afirmar com certeza absoluta que qualquer elemento que a proferir é misógino de carteirinha e DNA. Uma resposta boa é perguntar se ele já lavou a louça dele. Afinal, se veio agredir, deveria no mínimo ter uma casa limpa, certo?

"Deveria ter ficado na cozinha"; ver exemplo anterior.

"Não pago nem um centavo por 'isso'"; comentário feito por misógino na página da Veja, aquela revista de direita, sobre uma moça que leiloou a "virgindade" da vagina. Ele demonstra achar que o corpo feminino é um objeto, que ele pode avaliar e chamar de "isso". Para começo de conversa, ela estava cobrando para fazer sexo pela primeira vez, não para vender o corpo; existe uma mega diferença aí. Prostitutas prestam serviço, não se vendem. O corpo feminino não é um objeto que pode ser comprado e vendido, e qualquer um que pensa desse jeito é misógino.

"Você arranjou um cara pra beijar, não um namorado"; misógino da FEA na tequilada da Poli de 2008. O elemento disse isso para mim após eu ter beijado um de seus amigos. O verme acha que mulheres querem namorar qualquer imbecil, não tem nem o que dizer sobre isso. ¬¬

"Mulher, loira ainda por cima"; misógino ridicularizando mulheres num estacionamento quanto à forma como dirigiam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu me reservo o direito de não responder perguntas cuja resposta esteja no próprio post. Comentários imbecis e sem embasamento estão sujeitos a ridicularização. Comente por sua conta e risco. Obrigada!